Seleccione Edição
Login

Copa América 2016: Brasil cai em grupo fácil

Competição de futebol mais importante do continente celebra edição especial de 100 anos

Sorteio da Copa América Centenário no Hammerstein de Nova York
Sorteio da Copa América Centenário no Hammerstein de Nova York EFE

A cidade dos arranha-céus se vestiu de gala para realizar o sorteio dos quatro grupos que a partir de 3 de junho disputarão a edição comemorativa de centenário da Copa América. O acaso fez com que Argentina e Chile se encontrem novamente na primeira rodada, enquanto o Brasil enfrentará o Equador e o México jogará contra o Uruguai. Os Estados Unidos, país anfitrião, jogará a partida de abertura contra a Colômbia.

O local escolhido para o sorteio foi o teatro Hammerstein, na esquina oposta do Madison Square Garden. A noite foi animada pelo argentino Diego Torres, com o tema “Todos Somos Iguales”, e pelo grupo porto-riquenho Yandel, com “Somos Uno”. Os ex-jogadores Alexi Lalas, dos EUA, o argentino Mario Alberto Kempes, o colombiano Carlos Valderrama e o mexicano Jorge Campos se encarregaram de tirar a sorte para os 16 times.

Todas as seleções mais fortes têm algo a provar nessa Copa América. A Argentina não ganha um título importante desde 1993. A equipe alviceleste chegou perto na última final da Copa América, contra o Chile, no Chile. E também na Copa do Mundo. O Brasil, por sua vez, espera apagar a dolorosa eliminação da Copa do Mundo que sediou, enquanto o México procura ganhar mais respeito entre seus rivais do sul.

O Chile, que defende o título, precisa demonstrar que tem um lugar entre a elite do futebol latino-americano. Para os EUA, o evento representa uma oportunidade para recuperar o caminho de 2013 e 2014, depois de um ano em que a equipe dirigida por Jurgen Klinsmann teve um desempenho ruim. Ninguém espera que os EUA cheguem à final, mas que pelo menos passem da fase de grupos. “Quem ganhar a Copa poderá desfrutar dela durante 100 anos”, disse Kempes.

A Seleção dos EUA será cabeça de chave por ser o país organizador, juntamente com Brasil e México, as seleções que acumulam mais títulos, respectivamente, na Conmebol –Confederação Sul Americana– e na Concacaf –Confederação da América do Norte, Central e Caribe. A cabeça de chave do quarto grupo foi reservada no final para a Argentina, por ser o país mais bem colocado no ranking da FIFA. Os quatro estavam no primeiro pote.

O Chile dividiu o segundo pote com Colômbia, Equador e Uruguai. Os organizadores os deixaram para o fim do sorteio por ser o mais forte depois dos cabeças de chave e o que podia render melhores jogos. O quarto pote, o primeiro dos quais saíram as bolas, era formado por Bolívia, Paraguai, Venezuela e Peru, os piores da Conmebol. O terceiro foi reservado para Costa Rica, Haiti, Jamaica e Panamá.

Divisão em grupos

Depois do sorteio, os Estados Unidos enfrentarão Colômbia, Costa Rica e Paraguai na fase de grupos. É o grupo mais equilibrado. O Brasil terá mais facilidade frente a Equador, Haiti e Peru como primeiros adversários, enquanto o México competirá contra Uruguai, Jamaica e Venezuela. Argentina e Chile, que repetirão a última final, jogarão na primeira fase contra Panamá e Bolívia.

O torneio acontecerá num momento difícil para a FIFA, um ano depois de que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos ter acusado de corrupção o órgão que dirige o futebol. Os ex-presidentes da Conmebol e da Concacaf são acusados em casos diferentes. Temia-se, de fato, que a Copa América se tornasse sua grande vítima.

É a primeira vez que um país do hemisfério norte recebe o torneio mais importante da América. Essa edição também é especial porque reúne as duas confederações. A competição começará no estádio Levi’s, em Santa Clara (Califórnia), e a final será disputada no dia 26 do mesmo mês no Metlife, em East Rutherford (Nova Jersey). Houston e Chicago sediarão as semifinais nos dias 21 e 22. A rede Univisión tem os direitos de transmissão de todas as 32 partidas ao lado da Fox Sports.

MAIS INFORMAÇÕES