Caso Neymar

Justiça embarga jatinho e iate de Neymar por suspeita de sonegação

Estão incluídos no bloqueio também imóveis que pertencem ao atacante do Barcelona

Mais informações

A Justiça Federal bloqueou vários bens de Neymar na segunda-feira. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, estão incluídos no embargo um jatinho, um iate e outros imóveis que pertencem ao atacante do Barcelona. A 7ª Vara Federal de Santos enviou ontem uma série de ofícios a cartórios de Santos, Guarujá, São Vicente, Praia Grande, São Paulo e Itapema (SC), cidades onde o jogador tem propriedades, comunicando o congelamento dos bens do jogador, de seus pais, Neymar da Silva e Nadine da Silva Santos, e das empresas Neymar Sport e Marketing, N&N Consultoria Esportiva e Empresarial e N&N Administração de Bens Participações e Investimentos. O atleta ainda pode recorrer da sentença.

A decisão é uma consequência do bloqueio de 188 milhões de reais que a Justiça brasileira determinou em setembro de 2015, e que foi mantida na semana passada, para garantir o pagamento dos impostos que o jogador teria sonegado entre 2011 e 2013, quando ainda defendia o Santos. A Receita Federal exige que o atacante pague cerca de 63,6 milhões de reais em impostos não declarados. O valor foi reajustado, agora para 192 milhões de reais, por causa de juros e uma multa de 150% aplicada pelo fisco quando há suspeita de fraude.

A Receita Federal considera que o jogador evadiu impostos porque declarou o dinheiro que recebeu por sua contratação pelo Barcelona, em 2013, como lucro de suas empresas, segundo afirmou o desembargador na sentença. Ainda de acordo com a Receita, Neymar também omitiu de sua declaração do Imposto de Renda o pagamento por serviços de publicidade, direitos de imagem e outros contratos assinados com o Barcelona e outras empresas entre 2011 e 2013.