BOLA DE OURO

Wendell Lira, o Davi que venceu o gigante Messi na Bola de Ouro 2015

O argentino do Barça impõe-se a Cristiano Ronaldo e a seu colega Neymar Prêmio Puskás, de gol mais bonito do ano, vai para o brasileiro Wendell Lira, com 46% dos votos

Wendell Lira ou Messi? Quem apostou no até outro dia anônimo brasileiro para o Prêmio Puskás de gol mais bonito do ano (veja o lance abaixo) se deu bem. A disputa parecia tão desigual quanto a batalha entre Davi e Golias, e teve o mesmo final da história bíblica, entre um homem comum e um gigante. Foi o atacante do Vila Nova, de Goiás, aliás, que citou emocionado o duelo para ilustrar sua vitória sobre um dos melhores jogadores da história do futebol. "Quando Golias apareceu, todo mundo olhava para ele e falava 'ele é muito forte, muito grande, não tem como ganhar dele. E Davi, quando olhou pra Golias, disse: ele é muito grande, não tem como errar". Em dezembro, em entrevista ao EL PAÍS, Wendell disse que não acreditava que poderia ganhar e comentou, humilde, que iria para a Suíça para aproveitar a festa.

Wendell levou o Prêmio Puskás.
Wendell levou o Prêmio Puskás.F. COFFRINI / AFP

Apesar da derrota no Prêmio Puskás, a noite foi de festa para Messi. O argentino ganhou a quinta Bola de Ouro de sua carreira. O atacante do Barça, favorito na disputa, impôs-se com um total de 41,33% dos votos contra 27,76% de Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e seu colega Neymar, que teve 7,86%, pela primeira vez entre os três finalistas. O argentino é o jogador que mais vezes conquistou o troféu de melhor jogador do mundo. Conseguiu o primeiro em 2009, quando o prêmio ainda não incluía o troféu da revista especializada France Football, no último ano antes da fusão com o de melhor jogador do mundo da FIFA.  Nos três anos seguintes, o argentino prolongou um domínio absoluto que só foi interrompido em 2013 e 2014 por Cristiano Ronaldo. A melhor jogadora de futebol do mundo foi a americana Carli Lloyd (do Houston Dash), a melhor jogadora da Copa do Mundo do Canadá em 2015, cujo título conquistou com os Estados Unidos.

O prêmio de melhor treinador do ano foi para Luis Enrique, técnico do Barcelona, que venceu Pep Guardiola (Bayern de Munique) e Jorge Sampaioli (Chile). Jill Ellis, a treinadora que dirigiu os Estados Unidos até o título mundial, ganhou o prêmio na categoria de futebol feminino, deixando para trás Mark Sampson (Inglaterra) e Norio Sasaki (Japão).

Reveja o gol que deu o Prêmio Puskás a Wendell Lira:

A seleção do ano da FIFA foi: Neuer no gol; Dani Alves, Thiago Silva, Sergio Ramos, Marcelo, na defesa; Iniesta, Modric, Pogba, no meio-campo; Neymar, Messi e Cristiano Ronaldo no ataque.

Mais informações