Brasil avalia caso suspeito de ebola

Homem brasileiro de 46 anos, que veio da Guiné, foi atendido em Minas Gerais

Equipe da saúde na unidade de saúde de Pampulha.
Equipe da saúde na unidade de saúde de Pampulha.Fernanda Carvalho (O Tempo/Estadão Conteúdo)

Um homem brasileiro de 46 anos vindo da Guiné e atendido em uma unidade de saúde de Belo Horizonte é suspeito de estar infectado por ebola, segundo informações do Ministério da Saúde brasileiro. Ele chegou na noite da última terça-feira na Unidade de Pronto Atendimento da Pampulha com febre alta, dor muscular e dor de cabeça.

MAIS INFORMAÇÕES

Segundo o órgão brasileiro, os sintomas apareceram no último dia 8, dois dias depois de ele chegar ao Brasil. A unidade de saúde onde ele foi atendido está fechada para novos pacientes. “Imediatamente após a identificação da suspeita, o paciente foi isolado na unidade e teve início a adoção do protocolo nacional estabelecido para casos suspeitos de ebola”, disse o ministério, em nota. Todos os pacientes e profissionais da unidade que tiveram contato com o homem foram orientados e estão sendo monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde. Também estão sendo levantados outros possíveis contatos.

Ao meio dia desta quarta-feira, o paciente foi transferido para o hospital Eduardo de Menezes, referência em infectologia em Minas Gerais, e depois encaminhado em um avião da Força Aérea Brasileira para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas no Rio de Janeiro, referência nacional para casos de ebola. Ele deverá chegar às 19h desta quarta e fará um exame de sangue para avaliar se tem a doença. Os resultados deverão sair em 24 horas. Em caso negativo, o teste é repetido em 48 horas.

“É importante ressaltar que desde que a Organização Mundial de Saúde anunciou a emergência mundial, o Governo brasileiro fez sua lição de casa e está preparado adequadamente”, ressaltou o ministro Marcelo Castro em uma coletiva de imprensa nesta tarde.

Segundo o relatório da Organização Mundial de Saúde divulgado nesta quarta-feira, 3.351 casos de ebola foram confirmados na Guiné até o momento, quatro deles nos últimos 21 dias –todos da mesma família e vivendo no mesmo povoado. Morreram no país 2.083 pessoas. No total, a epidemia já apresentou 28.599 casos confirmados, prováveis e suspeitos em três países africanos (além de Guiné, Libéria e Serra Leoa). A maioria dessas mortes foram reportadas entre agosto e dezembro de 2014 e, depois desse período, a incidência começou a cair, aponta a OMS. Na Guiné, a incidência permanece em cinco ou menos casos confirmados por semana por 16 semanas consecutivas.

Sete países apresentaram previamente um ou mais casos da doença importados de outra nação com transmissão intensa: Itália, Mali, Nigéria, Senegal, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos. Em outubro de 2014, o Brasil também teve um caso suspeito de ebola no Paraná, de um homem de 47 anos que também vinha da Guiné – os testes foram negativos.

Arquivado Em: