FIFA suspende Joseph Blatter e Platini dos seus cargos

O Comitê de Ética da FIFA sanciona com 90 dias aos diretores por pagamentos irregulares

Platini em uma imagem de arquivoEFE (reuters_live)

O Comitê de Ética da FIFA impôs nesta quinta-feira uma suspensão de 90 dias ao seu presidente, Joseph Blatter, e a um dos seus dois vices, Michel Platini, candidato à sucessão dele, informa a AFP. As punições decorrem de escândalos de corrupção que vieram à tona nos últimos meses na entidade que dirige o futebol mundial.

Mais informações
Suíça abre investigação contra Joseph Blatter por vários crimes
Copa do Mundo de 2022 no Qatar terá início em 21 de novembro
FIFA anuncia que escolherá seu novo presidente em 26 de fevereiro

O sul-coreano Chung Mong-joon, também candidato a presidir a FIFA, foi inabilitado por seis anos, numa decisão ainda provisória, segundo a agência de notícias francesas. Jerome Valcke, braço direito de Blatter, também se viu afetado pelos escândalos e sofrerá três meses de suspensão.

Platini manifestou na manhã desta quinta-feira a sua indignação com a forma como a investigação foi conduzida. “Esse vazamento intencional, que é insidioso por natureza e ocorreu de maneira inaceitável, é essencialmente uma tentativa de abalar minha reputação”, declarou ele em nota divulgada antes que o seu afastamento fosse anunciado.

O Comitê de Ética está reunido desde segunda-feira na sede da FIFA, em Zurique, para analisar todas as denúncias de corrupção contra seus dirigentes. Suas decisões afetam em cheio o processo de eleição do novo presidente, previsto para 26 de fevereiro.

Platini disse que nas últimas semanas tentou cooperar ao máximo com as autoridades para esclarecer as acusações das quais é alvo. “Que sejam feitas as investigações necessárias, conforme as mais rigorosas normas. A FIFA, entretanto, desobedeceu claramente essas normas”, afirmou.

Segundo os estatutos da FIFA, o presidente em exercício até a eleição, se forem confirmadas as punições, será o vice-presidente com mais tempo no cargo – no caso, o camaronês Issa Hayatou, desde 1992 na função.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS