Seleccione Edição
Login

Papa Francisco diz a vítimas de abusos: “Os culpados prestarão contas”

Francisco diz estar envergonhado de que sacerdotes tenham "violado e causado danos graves" a menores

O Papa visita o Museu do 11 de setembro em NY.
O Papa visita o Museu do 11 de setembro em NY. EFE

Logo no início de uma reunião com bispos da Filadélfia, o papa Francisco anunciou aos presentes que acabara de se reunir com um grupo de vítimas de abusos sexuais cometidos por membros da Igreja e que garantiu a elas que os responsáveis por esses crimes “prestarão contas”.

Jorge Mario Bergoglio, que conclui neste domingo sua visita de uma semana a Cuba e Estados Unidos, disse que “os crimes, os pecados de abusos sexuais de menores, não podem ser mantidos em segredo durante mais tempo”, e acrescentou: “Levo gravado no coração o sofrimento dos menores que foram abusados sexualmente por sacerdotes. Continua a me constranger a vergonha de que pessoas que tinham a seu cargo o cuidado terno desses pequenos tenham lhes violado e lhes causado graves danos. Deus chora”.

O Papa já havia pedido perdão publicamente pelos crimes de pedofilia cometidos por sacerdotes e classificado essa prática como “uma missa negra”, uma perversão absoluta da verdadeira missão dos membros da Igreja. Assim sendo, não surpreendeu que, no início de sua reunião com os bispos, Francisco tenha anunciado: “Acabo de me reunir com um grupo de pessoas abusadas, de crianças que são ajudadas e acompanhadas aqui na Filadélfia com um carinho especial pelo arcebispo [da Filadélfia] monsenhor [Charles] Chaput, e nos pareceu que deveríamos comunicar isso a vocês”.

A arquidiocese da Filadélfia foi uma das mais atingidas durante a última década pelo escândalo de abusos de menores. O Papa disse: “Lamento profundamente”. E advertiu à hierarquia local da Igreja reunida no seminário San Carlos Borromeo: “Eles, os sobreviventes dos abusos, se tornaram verdadeiros arautos da esperança e ministros da misericórdia. Humildemente demos a cada um deles e a suas famílias nossa gratidão”.

MAIS INFORMAÇÕES