Se você adotou a foto com as cores do arco-íris no Facebook, isso te interessa

26 milhões de pessoas mudaram a foto na rede social para apoiar a causa gay

Página de Arnold Schwarzenegger no Facebook.
Página de Arnold Schwarzenegger no Facebook.facebook

O Facebook se declarou "orgulhoso" em apoiar a luta pela igualdade direitos e a causa do movimento de lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (LGBT). Para provar isso, lançou na semana passada uma iniciativa relativamente local e outra em escala mundial em meio à legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo pela Suprema Corte dos Estados Unidos, e a comemoração do Orgulho Gay em várias cidades do mundo. 

Na semana passada, pouco após a decisão da Justiça americana, a rede social disponibilizou um filtro com as cores do arco-íris - que representam a bandeira do movimento gay - para ser incorporado às fotos do perfil. De acordo com a empresa, cerca de 26 milhões de usuários em todo o mundo utilizaram o filtro, segundo dados da rede social, que também divulgou os números de interações — clicar em “curtir” ou fazer comentários — provocadas pelas fotos: mais de 565 milhões até o momento da divulgação do relatório, na segunda-feira à noite.

Mais informações

A campanha foi particularmente bem-sucedida nos Estados Unidos. Figuras públicas, como o ator e ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, antes contrário ao casamento igualitário e agora um defensor ferrenho, mudaram suas fotos para adicionar o filtro colorido. Schwarzenegger respondeu com um "hasta la vista" um seguidor que não acreditava em seu apoio à causa gay. Seus colegas Leonardo DiCaprio e Anne Hathaway fizeram o mesmo, assim como a editora Arianna Huffington e a presidenta do Brasil, Dilma Rousseff.

O filtro é o obra de dois estagiários do Facebook, que criaram a ferramenta durante uma hackathon (maratona de programadores na Internet) na semana passada. A empresa diz que a ideia se tornou muito popular dentro da empresa, que decidiu lançá-la aos usuários dois dias após o desenvolvimento do filtro.

As fotografias com o filtro colorido resultaram em mais de 565 milhões de interações na rede, entre cliques, “curtidas” e comentários

Veículos de prestígio como a revista The Atlantic publicou um artigo no qual especula que o filtro pode ser parte de uma experiência da rede social para conhecer seus usuários. Consultadas pelo EL PAÍS, fontes da rede social na Espanha asseguraram que o filtro "não é uma experiência ou um teste, mas sim uma ferramenta para permitir que as pessoas demonstrem seu apoio à comunidade LGBT no Facebook". A empresa afirma que "não usará [o filtro] para personalizar anúncios e que seu objetivo não é obter informações sobre as pessoas" que o utilizaram.

Já no âmbito local, nos EUA, a empresa apoiou um de seus usuários em sua campanha a favor dos direitos LGBT na conservadora região agrícola do Vale Central da Califórnia, de acordo com a rede social. O jovem Justin Kamimoto, homossexual, criou um grupo na rede que, de acordo com a empresa, tem ajudado "inúmeros adolescentes e jovens adultos" a encontrar apoio. A história foi contada em um vídeo em inglês divulgado pela rede.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: