Seleccione Edição
Login

O melhor museu é um muro

Outings suma a 69 artistas en 19 ciudades del mundo para replicar, vía graffiti, las obras menos conocidas de los museos más prestigiosos

  • Os anônimos dos museus. Esses quadros, dos quais ninguém se lembra, perdidos em um mar de obras conhecidas da pintura. É para eles que 69 artistas de 22 cidades do mundo dedicam seus esforços graças ao projeto ‘Outings’. A ideia, copiar um quadro pouco conhecido de um museu e leva-lo à rua da mesma cidade em forma de colagem. Na imagem, um ‘Outings’ de Nova York, surrupiado do Metropolitan.
    1Os anônimos dos museus. Esses quadros, dos quais ninguém se lembra, perdidos em um mar de obras conhecidas da pintura. É para eles que 69 artistas de 22 cidades do mundo dedicam seus esforços graças ao projeto ‘Outings’. A ideia, copiar um quadro pouco conhecido de um museu e leva-lo à rua da mesma cidade em forma de colagem. Na imagem, um ‘Outings’ de Nova York, surrupiado do Metropolitan.
  • O processo para copiar o quadro é explicado detalhadamente no site do Outings na Internet. O primeiro passo é escolher o quadro, e recomenda-se escolher obras anônimas. A única regra a seguir é que o museu e a rua na qual a obra ficará devem ser da mesma cidade. Para a foto, basta o celular. Depois é passado ao Photoshop, retocado em uma largura máxima de 110 centímetros e preparado para imprimir. A equipe do Outings oferece ao artista a impressão em um papel adesivo especial e o envio por 28 euros (96 reais) a qualquer lugar do mundo. Último passo, grudá-lo na parede e documentar o processo com três fotos: panorâmica, plano médio e primeiro plano.
    2O processo para copiar o quadro é explicado detalhadamente no site do Outings na Internet. O primeiro passo é escolher o quadro, e recomenda-se escolher obras anônimas. A única regra a seguir é que o museu e a rua na qual a obra ficará devem ser da mesma cidade. Para a foto, basta o celular. Depois é passado ao Photoshop, retocado em uma largura máxima de 110 centímetros e preparado para imprimir. A equipe do Outings oferece ao artista a impressão em um papel adesivo especial e o envio por 28 euros (96 reais) a qualquer lugar do mundo. Último passo, grudá-lo na parede e documentar o processo com três fotos: panorâmica, plano médio e primeiro plano.
  • Um dos pontos principais do projeto é o mistério. Os artistas não dizem qual é o quadro escolhido e não fornecem nenhuma informação sobre ele além do museu e a cidade a qual pertence. “O Outings não é sobre conhecimento. É sobre emoções, sobre surpreender. Não sabemos nada sobre os quadros colados. E também não nos importa descobrir em qual rua se encontram”, explica Julien de Casabianca, criador e coordenador do projeto. A ideia é que quem dobrar a esquina e encontrar o quadro viva uma nova experiência. E talvez se interesse por descobrir de qual museu de sua cidade a pintura saiu. Na imagem, um retrato copiado do Museu de Bastia, na Córsega.
    3Um dos pontos principais do projeto é o mistério. Os artistas não dizem qual é o quadro escolhido e não fornecem nenhuma informação sobre ele além do museu e a cidade a qual pertence. “O Outings não é sobre conhecimento. É sobre emoções, sobre surpreender. Não sabemos nada sobre os quadros colados. E também não nos importa descobrir em qual rua se encontram”, explica Julien de Casabianca, criador e coordenador do projeto. A ideia é que quem dobrar a esquina e encontrar o quadro viva uma nova experiência. E talvez se interesse por descobrir de qual museu de sua cidade a pintura saiu. Na imagem, um retrato copiado do Museu de Bastia, na Córsega.
  • O ‘Outings’ não para de crescer. Casabianca conta que já são 69 artistas “de Jacarta a Puebla, de Minneapolis a Johannesburgo” os que participam do projeto. Além disso, museus como o Torreón do México ou o Museu de Gdansk da Polônia querem participar, segundo Casabianca, ativamente do ‘Outings’. Esta foto é de uma rua de Los Angeles de uma obra retirada do Museu Getty.
    4O ‘Outings’ não para de crescer. Casabianca conta que já são 69 artistas “de Jacarta a Puebla, de Minneapolis a Johannesburgo” os que participam do projeto. Além disso, museus como o Torreón do México ou o Museu de Gdansk da Polônia querem participar, segundo Casabianca, ativamente do ‘Outings’. Esta foto é de uma rua de Los Angeles de uma obra retirada do Museu Getty.
  • Outro Outings em Varsovia, retirado do Museu Nacional da cidade.
    5Outro Outings em Varsovia, retirado do Museu Nacional da cidade.
  • Os grandes museus também estão no Outings. Este retrato feminino, por exemplo, foi do Louvre para a rua.
    6Os grandes museus também estão no Outings. Este retrato feminino, por exemplo, foi do Louvre para a rua.
  • Qualquer lugar vale para ser transformado em uma galeria de arte improvisada. Como este pilar de concreto de uma ponte em Nova Orleans.
    7Qualquer lugar vale para ser transformado em uma galeria de arte improvisada. Como este pilar de concreto de uma ponte em Nova Orleans.
  • A Espanha também participa do Outings. Este quadro retirado do Prado pode ser encontrado em uma rua de Madrid. Em Barcelona vários artistas já contribuíram para a causa. E Málaga é a próxima da lista.
    8A Espanha também participa do Outings. Este quadro retirado do Prado pode ser encontrado em uma rua de Madrid. Em Barcelona vários artistas já contribuíram para a causa. E Málaga é a próxima da lista.
  • Um Outings não funciona somente com retratos de época ou cenas religiosas. A fantasia mais ousada funciona tão bem no quadro como na parede. Isso é demonstrado por este demônio que rapta um homem em um muro da cidade polonesa de Gdansk.
    9Um Outings não funciona somente com retratos de época ou cenas religiosas. A fantasia mais ousada funciona tão bem no quadro como na parede. Isso é demonstrado por este demônio que rapta um homem em um muro da cidade polonesa de Gdansk.