Gigantesca erupção no sul do Chile

Autoridades ordenam evacuação de 4.000 pessoas que vivem perto do vulcão Calbuco

Vista do vulcão Calbuco, na quarta-feira.Foto: reuters_live | Video: Reuters-LIVE!

Uma surpreendente e forte erupção ocorreu no vulcão Calbuco, 1.000 quilômetros ao sul de Santiago do Chile, o que obrigou as autoridades a ordenar a evacuação de cerca de 4.000 pessoas que vivem em um raio de 20 quilômetros. A explosão se produziu às 17h50, hora local, e fez com que o Governo decretasse o alerta vermelho total, o que significa que o processo de erupção em curso implica uma “alta ameaça para a população”.

Ao anoitecer já podiam ser vistos os raios próprios deste fenômeno, junto com a maciça nuvem de cinzas que cai há horas sobre o lugar. Na madrugada, houve um segundo estalido. O Calbuco, um dos três vulcões mais perigosos entre os 90 ativos no Chile, havia permanecido 43 anos inativo: sua última erupção foi registrada em 1972. Ainda que o vulcão não tenha expelido lava, pequenas localidades nos arredores sofrem com chuva de cinzas e com a má qualidade do ar.   

O ministro do Interior, Rodrigo Peñalillo, informou que os Carabineros se encontram ajudando a população a evacuar a zona, que ainda não apresenta o derrame de lava. “Gostaria de pedir calma à população e que se mantenha informada”, afirmou o chefe de gabinete.

Mais informações
Últimas noticias do fim do mundo
Depois do tornado, Xanxerê pode levar um ano para ser reconstruída
Tornado raro destrói cidade em Santa Catarina
Tragédia em Xanxerê

A erupção não provocou mortes. A única pessoas desaparecida foi encontrada na tarde de quinta-feira. Segundo a presidenta Michelle Bachelet, ainda não é possível quantificar o custo econômico da tragédia. 

A região onde se encontra o Calbuco é conhecida por ser um dos principais centros turísticos nacionais, justamente por estar rodeada de montanhas e lagos. As imagens da explosão são impressionantes e por razões de segurança o Governo decretou o Estado de Exceção na província de Llanquihue e na comuna de Puerto Octay.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS