Seleccione Edição

Sequestro em Sydney

Homem armado retém um número indeterminado de pessoas em um café no centro financeiro da maior cidade da Austrália

  • Garçonete abraça policial depois de conseguir sair do café onde homem reteve pelo menos uma dezena de pessoas reféns por 16 horas. Na segunda-feira (15) a polícia invadiu o local e colocou fim ao cerco.
    1Garçonete abraça policial depois de conseguir sair do café onde homem reteve pelo menos uma dezena de pessoas reféns por 16 horas. Na segunda-feira (15) a polícia invadiu o local e colocou fim ao cerco. Reuters
  • Sequestrador força reféns a exibir uma bandeira negra com letras brancas que diz em árabe: “Não há Deus maior que Alá, e Mohamed é seu profeta”. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local.
    2Sequestrador força reféns a exibir uma bandeira negra com letras brancas que diz em árabe: “Não há Deus maior que Alá, e Mohamed é seu profeta”. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local. AFP
  • Policiais aguardam do lado de fora do café onde um sequestrador iraniano fez reféns, em Sidney. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local.
    3Policiais aguardam do lado de fora do café onde um sequestrador iraniano fez reféns, em Sidney. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local. EFE
  • Cinco reféns conseguiram sair do estabelecimento antes do término do sequestro. A policial não esclareceu ainda se saíram devido às negociações das autoridades com o sequestrador ou se teriam escapado por conta própria. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local.
    4Cinco reféns conseguiram sair do estabelecimento antes do término do sequestro. A policial não esclareceu ainda se saíram devido às negociações das autoridades com o sequestrador ou se teriam escapado por conta própria. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local. Getty
  • Os arredores do café estão tomados pela polícia e o tráfego de carros está suspenso. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local.
    5Os arredores do café estão tomados pela polícia e o tráfego de carros está suspenso. O cerco, que durou 16 horas, terminou nesta segunda-feira (15) quando a polícia invadiu o local. AFP
  • Segundo os reféns contaram aos jornalistas, o sequestrador pediu falar com o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, e que lhe trouxessem uma bandeira do Estado Islâmico (EI).
    6Segundo os reféns contaram aos jornalistas, o sequestrador pediu falar com o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, e que lhe trouxessem uma bandeira do Estado Islâmico (EI). Getty
  • O acontecimento transtornou o coração financeiro da Austrália. Centenas de agentes de segurança isolaram uma área de vários quarteirões ao redor do local do sequestro.
    7O acontecimento transtornou o coração financeiro da Austrália. Centenas de agentes de segurança isolaram uma área de vários quarteirões ao redor do local do sequestro. AFP
  • Os edifícios da zona do sequestro foram evacuados pela policia.
    8Os edifícios da zona do sequestro foram evacuados pela policia. REuters
  • De acordo com a Globonews, a brasileira Márcia Mikhael, natural de Goiás, estava entre os reféns. No perfil do Facebook, Márcia também publicou mensagens com as reivindicações do sequestrador, segundo os familiares. Parentes da jovem informaram que ela foi libertada e está bem.
    9De acordo com a Globonews, a brasileira Márcia Mikhael, natural de Goiás, estava entre os reféns. No perfil do Facebook, Márcia também publicou mensagens com as reivindicações do sequestrador, segundo os familiares. Parentes da jovem informaram que ela foi libertada e está bem. Reprodução