O diretor de comunicação da seleção do Brasil também está fora do Mundial

A FIFA aumentou a punição dada ao assessor da equipe brasileira após uma briga no vestiário

Rodrigo Paiva, diretor de comunicação da CBF.
Rodrigo Paiva, diretor de comunicação da CBF.Marcelo Sayão (EFE)

O Comitê de Disciplina da FIFA aumentou para até o final do Mundial a suspensão dada ao diretor de comunicação da seleção brasileira, Rodrigo Paiva, por sua agressão ao jogador chileno Marcelo Pinilla no túnel de vestiários do estádio Mineirão durante o intervalo da partida de oitavas de final no último 28 de junho em Belo Horizonte.

Paiva havia sido suspenso inicialmente por uma partida (que cumpriu na disputa contra a Colômbia), punição equivalente à dada aos jogadores quando eles recebem um cartão vermelho; no entanto, o comitê presidido pelo suíço Claudio Sulser aumentou a pena depois de analisar em detalhe os fatos. A seleção chilena denunciou Paiva e apresentou provas de que ele deu um soco na cara a Pinilla no meio de um tumulto ocorrido quando os jogadores se retiravam ao vestuário.

Inabilitado para ir ao estádio nas duas últimas partidas da canarinha, o quarto jogo de punição ficará em suspenso, caso ele não se envolva em novos atos de indisciplina durante os próximos dois anos. A FIFA impôs a ele, além disso, uma multa de 10.000 francos suíços (24.800 reais). Depois de saber que a punição inicial de Paiva seria de uma partida, Mauricio Pinilla, atacante do Cagliari italiano, afirmou considerar “uma vergonha” a decisão e qualificou a atitude de seu agressor como “mais grave" que a mordida dada pelo uruguaio Luis Suárez no italiano Giorgio Chiellini.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: