A brasileira Helena Rizzo, melhor chef do mundo

A gaúcha, que comanda ao lado do marido o restaurante Maní, em São Paulo, já havia sido eleita a melhor da América Latina. Agora, receberá o título Veuve Clicquot Best Female Chef em Londres

A chef brasileira Helena Rizzo.
A chef brasileira Helena Rizzo.

A brasileira Helena Rizzo, que comanda junto com seu marido Daniel Redondo a cozinha do restaurante Maní, em São Paulo, foi eleita a melhor chef do mundo. O título, Veuve Clicquot Best Female Chef, criado em homenagem à marca que deu nome ao famoso champanhe, será entregue a Rizzo no próximo dia 28 de abril em Londres, quando será anunciada a lista dos melhores restaurantes do mundo na cerimônia The World’s 50 Best, promovida pela revista Restaurant.

O prêmio das rainhas globais da cozinha foi recebido em edições anteriores pela francesa Anne Sophie Pic, a espanhola Elena Arzak e a italiana Nadia Santini. No caso de Rizzo, é a primeira vez que uma chef recebe uma homenagem dupla: o reconhecimento territorial, como melhor da América Latina (concedida em 2013), e o reconhecimento global. Além disso, no ranking mundial, o Maní ocupa o número 46 em uma lista onde os chefs brasileiros, com Alex Atala na liderança, estão adquirindo posições de prestígio a passos largos.

Helena Rizzo (Porto Alegre, 1978), deixou de lado uma jovem e bem-sucedida carreira como modelo, assim como os estudos de arquitetura, para se atirar em sua paixão culinária. Depois de receber treinamento em cozinhas brasileiras e italianas, desembarcou em Girona (nordeste da Espanha), no Celler de Can Roca (atual melhor restaurante do mundo). Joan Roca deixou nas mãos de Rizzo por um tempo a cozinha de sua aventura barcelonesa Moo (no hotel Omm), mas depois de passar três anos na Espanha, ela voltou ao Brasil para empreender um projeto próprio com Daniel Redondo, que conheceu entre os fogões do Celler.

Redondo e Rizzo abriram em 2006 o restaurante Maní, onde os ingredientes brasileiros e as técnicas da cozinha de vanguarda espanhola se harmonizam em pratos sedutores em estética e sabor.

“Em um mundo culinário tão masculinizado, achamos necessário reconhecer o esforço e o talento das mulheres chefs mais brilhantes, porque achamos que serve de inspiração para futuras gerações de chefs com talento”, destacou William Drew, do grupo editor responsável pela lista da Restaurant.

Helena Rizzo, por sua vez, exultante de alegria com seu prêmio, acha também que “é uma referência importante para que o mundo ponha o foco no trabalho de tantas mulheres boas e na rica e variada gastronomia brasileira”. Agradece a personalização do prêmio, mas ressalta que “é um prêmio para toda a equipe do Maní”. “Algumas vezes fazemos coisas boas, outras nem tanto, mas sempre nos esforçamos”, diz, humilde.