Coca-Cola reduz o lucro e as vendas

A multinacional fecha o ano com rendimentos de 34 bilhões e lucro de 6,2 bilhões de dólares

A Coca-Cola continua tendo dificuldades para recuperar o passo. A multinacional norte-americana fechou o ano de 2013 com uma queda de 5% no lucro anual, calculado em 8,58 bilhões de dólares. Também reduziu a cifra dos negócios para 46 bilhões de dólares, uma queda de 2% se comparado aos resultados de 2012. Muntar Kent, o diretor-executivo, admite que foi um ano complicado.

O rendimento no quarto trimestre foi, inclusive, pior. O lucro líquido foi de 1,7 bilhão, 8% menos que no mesmo período de 2012, quando as recitas caíram para 11 bilhões, 4% a menos. Esta queda é atribuída, por um lado, aos custos derivados da reestruturação do negócio para elevar a produtividade e ao tipo de mudança.

Mas a realidade é que estes números ficaram pequenos diante das expectativas de Wall Street. A Coca-Cola acabou de anunciar que entrava no capital da Green Mountain Coffee para desenvolver, junto à dona das máquinas Keurig, um novo sistema que permita fazer bebidas frias em casa e assim tentar conter a queda nas vendas que o mercado norte-americano vem sofrendo.

Em relação ao mercado europeu, a empresa registrou uma leve melhoria no volume de vendas de bebidas. Embora assinale que o atual clima de incerteza e a fraqueza na confiança continuam tendo um impacto no consumidor, especialmente nos países do sul. Na América Latina, a Coca-Cola fala de um estancamento, devido aos restos econômicos em países como o Brasil e o México.

A PepsiCo, seu principal rival no negócio dos refrigerantes, apresentou seus resultados na última semana. A companhia manteve os rendimentos em 66,4 bilhões durante o exercício enquanto elevou em 9% o lucro, para 6,74 bilhões. Indra Nooyi, a diretora-executiva, também mencionou a volatilidade na economia global para justificar este rendimento.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: