Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Uber demite 20 funcionários por assédio sexual

Após investigação com mais de 200 entrevistas, outros 30 empregados receberam advertência

Uber
Sede do Uber em San Francisco. AP

O Uber tenta colocar ordem dentro de casa. Após a recente saída de seu máximo executivo financeiro, Gautam Gupta, a empresa acaba de demitir 20 funcionários e advertir outros 30. Mais seis receberam um aviso final. A decisão é fruto de uma profunda investigação que confirmou a denúncia feita por Susan Fowler em fevereiro. Num artigo em seu blog, Fowler contou que sofria assédio sexual no trabalho e que, apesar de alertar seus superiores e levar o assunto aos recursos humanos, a conduta era aceita devido ao peso de quem exercia tais práticas.

O Uber contratou o ex-promotor Eric Holder para investigar o caso. Quase quatro meses depois, foram revisados 215 casos de assédio, dos quais 100 foram rejeitados e 57 ainda estão sob análise. Além disso, 31 pessoas vão receber formação para evitar a continuidade da conduta e 20 foram despedidas.

Até agora não se conhecem os nomes e cargos dos demitidos, mas se sabe que alguns eram do alto escalão. O Uber não respondeu sobre esse caso.

A empresa sofre uma sangria de talentos que colocou em xeque sua esperada abertura de capital e a própria viabilidade do negócio. O presidente da companhia, Jeff Jones, está há apenas seis meses na função. Anthony Levandowski, contratação estelar para comandar os esforços do carro autônomo, foi demitido há apenas uma semana por se negar a colaborar na investigação que o acusa de roubar segredos industriais do Google, empresa da qual procede.

Pode-se notar o primeiro sintoma preocupante dessa situação quando se abre o aplicativo em San Francisco: há uma notável queda nos preços. Os executivos usaram essa estratégia quando se sentaram à mesa com Trump e receberam uma saraivada de críticas devido à política migratória do presidente. Repetiram a operação quando estourou o atual escândalo – e voltaram a utilizá-la há algumas horas. Pagando-se um bônus de 20 dólares (66 reais), é possível ter viagens ilimitadas pela baía de San Francisco por 6,99 dólares (23 reais) cada. O preço cai para 3,99 dólares (13 reais) em caso de carro compartilhado.

Ao mesmo tempo, quando as demissões começavam a vir à tona, a empresa anunciou uma contratação que pretender promover a diversidade entre seus funcionários: Bozoma Saint John, uma das executivas da Apple Music que se destacou na conferência há apenas um ano. Antes de chegar ao Uber, onde estreia um cargo sob medida – diretora de marca –, ela esteve na Apple após a compra da marca de fones Beats. Também havia sido diretora de marketing da Pepsi.

O Uber anunciou ainda a contratação de Frances Frei. Professora da Harvard Business School, Frei será vice-presidenta da companhia e se encarregará da área de liderança e estratégia.

MAIS INFORMAÇÕES