Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

E se o professor da BBC fosse uma mulher?

Programa humorístico da televisão da Nova Zelândia cria essa hipótese em um de seus esquetes

A entrevista dada na última sexta-feira pelo professor Robert Kelly à BBC e interrompida ao vivo por duas crianças já é objeto de inúmeras paródias: com os dirigentes do Podemos, com Donald Trump vestido de menina com um suéter amarelo e até mesmo com Darth Vader sendo interrompido por androides.

Alguns comentários ao vídeo original já se referiam aos diferentes papeis representados pelo pai, vestido de terno e gravata, e pela mãe, que aparecia rapidamente para resolver o problema. Não é de estranhar, portanto, que o programa humorístico Jono and Ben, da Nova Zelândia, tenha se perguntado o que poderia ter ocorrido se os papeis fossem invertidos e quem fosse interrompido pelos dois filhos durante uma entrevista à BBC fosse uma mulher e não um homem.

A paródia foi divulgada nas redes sociais do programa na manhã desta quinta-feira e brinca com a ideia de que as mulheres são obrigadas a realizar inúmeras tarefas ao mesmo tempo. Quando a primeira menina aparece, ela a põe no colo e lhe dá a mamadeira, sem deixar de falar sobre a Coreia do Sul. E quando chega o mais novo com o andador, ela o distrai com um chocalho. Mas a coisa não fica por aí: a atriz também vigia a situação de um frango assado, passa uma camisa, limpa um vaso sanitário e desarma uma bomba. Ao final, o pai aparece, mas apenas para dizer à esposa que não está encontrando uma meia.

Cuidando da filha, passando roupa, desarmando uma bomba e ajudando a encontrar uma meia, tudo isso sem deixar de falar sobre a Coreia do Sul.
Cuidando da filha, passando roupa, desarmando uma bomba e ajudando a encontrar uma meia, tudo isso sem deixar de falar sobre a Coreia do Sul.

O vídeo foi visto 14 milhões de vezes no Facebook, em que o programa o postou acompanhado da seguinte mensagem: “Dedicado a todas as mulheres trabalhadoras que têm de desarmar bombas a cada minuto”. Foi compartilhado quase 240.000 vezes em pouco mais de 24 horas.

MAIS INFORMAÇÕES