Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Eva Mendes, a atriz que trocou o tapete vermelho pela família

Parceira de Ryan Gosling decidiu interromper a carreira no cinema para cuidar das duas filhas

Ampliar foto
Eva Mendes, em setembro do ano passado em Nova York.

"Quando criança queria ser freira até saber que elas não ganham dinheiro. Então decidi que seria outra coisa". A frase é de Eva Mendes. Ela falava de si mesma, quando ainda se chamava Eva de la Caridad Méndez e era uma jovem latina morando em Los Angeles cuja obsessão era pagar as contas de sua mãe. Aos 12 anos assistiu a seu primeiro espetáculo. Era do cantor José Luis Rodríguez El Puma. À época era complexada porque tinha uma boca grande demais e quadris muito largos. O passar dos anos daria a volta em suas inseguranças e essas duas características se tornariam seu passaporte para se transformar em símbolo sexual de Hollywood, onde conquistou o garoto com abdome de aço, Ryan Gosling. Mas, desde então, como dizem, desapareceu do mapa.

No momento em que o ator está na moda e levou a irmã à cerimônia do Oscar, as pessoas se questionam: o que faz exatamente sua namorada e mãe de suas duas filhas, além de viver uma relação discreta com um dos homens mais desejados de Hollywood? Ele já deu uma pista em seu discurso como ganhador do Globo de Ouro, quando agradeceu a Mendes por ter se encarregado das filhas e ter lidado com a morte de seu irmão durante o período em que ele rodava La La Land – Cantando Estações. Muitos viram amor, outros viram machismo nessas palavras. A atriz teria feito o oposto à personagem de Emma Stone no filme e renunciado a seus sonhos para que ele brilhasse?

Eva Mendes e Ryan Gosling.

A parte freira, desde cedo, ficou para trás, pois de fato Mendes se declara alérgica ao casamento. Não apenas com Gosling, mas também em sua outra relação duradoura, com o produtor peruano George Augusto. Mas não há dúvidas de que, a sua maneira, as tradições pesam sobre ela, pelo menos no que diz respeito a dar prioridade absoluta para a família, principalmente desde que nasceram suas duas filhas com apenas dois anos de diferença entre elas.

Então decidiu que não teria babás: com duas avós e várias irmãs pensou em se virar e desfrutar da maternidade. Decidiu que suas filhas falariam espanhol, escutariam boleros e teriam clareza de que seu sangue é cubano. Uma mulher à moda antiga? “Não tenho certeza se me aposentei, mas quero aproveitar esse momento de maneira especial. Não gosto que me tirem do mapa, mas isso é essencialmente o que acontece com o trabalho (quando se toma essa decisão). Acho que pode ser muito saudável se for algo que você sente que vale a pena. Agora mesmo me sinto privilegiada de estar em casa com minhas filhas e quero aproveitar as vantagens que tenho”, afirmou à revista Latina em uma das poucas entrevistas que concedeu nos últimos anos e a primeira após ter sua segunda filha.

Não é preciso nem dizer que, com essa decisão, também impôs o matriarcado no lar Gosling-Mendes. Basta ver como não são nada canadenses os nomes de suas filhas: Esmeralda Amada e Amada. E para elas deseja a mais normal das infâncias. “Gostemos ou não, a privacidade será muito difícil para Esmeralda”, disse ao blog Violet Grey. “Acho que é injusto, mas é a nossa realidade. Então Ryan e eu decidimos bem cedo dar a ela toda a intimidade possível enquanto pudermos”, acrescentou.

Cena de "O Lugar Onde Tudo Termina", em que os dois atores se conheceram.

Mas qual carreira Eva Mendes deixou para trás? Sua passagem pelo cinema é, segundo se observa, tão machista quanto sua suposta retirada ao lar (não filma desde 2014). Apesar de ter filmes de destaque como Os Donos da Noite (que define como sua melhor interpretação), O Lugar Onde Tudo Termina (em que conheceu Ryan Gosling) e Holy Motors, de Leos Carax, seus papéis característicos de latina explosiva ganham de goleada: de Hitch - Conselheiro Amoroso a Motoqueiro Fantasma, passando por + Velozes + Furiosos.

Talvez por isso, porque ela sempre disse que queria ser uma latina que mostrasse ao mundo que se pode ser algo que as pessoas não esperam, decidiu se rebelar contra a combinação da maternidade com o caminho do sucesso empresarial, como fizeram Salma Hayek e Jennifer Lopez. No ano em que deixou o cinema, Eva Mendes lançou sua linha de roupas a preços acessíveis e para todos os tamanhos para a marca New York & Company, e também sua aventura nos cosméticos econômicos, mas de qualidade, sob o nome CIRCA. Costuma ser a própria modelo para seus produtos. Uma maneira muito mais eficaz de manter a imagem que ela quer projetar ao mundo. Entendendo ou não. E o Oscar de Ryan Gosling em breve chegará.